play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
  • Home
  • keyboard_arrow_right Contracultura
  • keyboard_arrow_rightPodcasts
  • keyboard_arrow_right
  • keyboard_arrow_right Natal é coisa de pecador – Especial de Natal – #190
play_arrow

Contracultura

Natal é coisa de pecador – Especial de Natal – #190

Isaque Resende 24 de dezembro de 2019 44


Background
share close
  • cover play_arrow

    Natal é coisa de pecador – Especial de Natal – #190
    Isaque Resende

 

Baixe nosso PDF:

 

Seja nosso colaborador:

Mateus 1:

18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. 19 Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. 20 Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. 21 Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. 22 Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta: 23 Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco). 24 Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher. 25 Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.

 

O que precisamos procurar no texto, é aquilo que não está nos cartões de natal, nas peças de natal, nas propagandas, nas canções.

 

A razão para o Natal é Jesus.

A razão para o Natal é o pecado.

 

Jesus já existia muito antes da Manjedoura.

João 1:1No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Colossenses 1:17Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.

 

A questão não é Jesus ter nascido. 

Por que Ele nasceu? Por que Ele veio à terra? Por que celebramos isso?

 

Mateus 1:21Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.

 

A razão do Natal é o pecado.

Alguém precisava lidar com o pecado, trazer alguma solução.

 

Não que você não possa fazer as representações do Jesus bebê, as ilustrações e canções e tudo o mais. 

É só que Jesus já existia muito antes disso, Ele é Deus e é eterno.

Mas a verdadeira questão é: por que Jesus nasceu como ser humano?

 

Gênesis 3:15 – Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

 

Quando o pecado entrou no mundo, uma promessa foi feita à humanidade, uma semente, um herdeiro, mas ainda assim, alguém que não estava infectado pelo pecado.

 

João 3:

16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

 

Sim, o Natal é o nascimento de Jesus, mas Ele só precisou nascer para que você e eu não precisássemos morrer.

A linguagem de João não deixa dúvidas, esse menino foi dado como presente.
O Natal é a celebração da Graça.

 

Isaías 9:6Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu;

 

Um menino nos nasceu = a parte humana.

Um filho se nos deus = a parte divina.

 

Talvez você esteja pensando: mas eu só vim aqui para uma reflexão natalina, e o cara começa a falar sobre pecado?

Sim. É exatamente isso que o Natal significa.

 

O que precisamos manter em mente ao revisitar todos os textos natalinos da Bíblia,
é que estamos lidando aqui com pecado, graça e salvação.

 

O Natal é a abertura do Evangelho.

 

Lucas 2:

8 Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite. 9 E um anjo do Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor. (pecado) 10 O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria (graça), que o será para todo o povo: 11 é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador (salvação), que é Cristo, o Senhor. 12 E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em faixas e deitada em manjedoura. 13 E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: 14 Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens (evangelho), a quem ele quer bem.

 

O nascimento de Cristo é a boa notícia de que apesar de nossa rebeldia, de nossa desobediência, Deus quer fazer as pazes conosco.

 

Não é a história de um super-herói voando por aí e lutando contra o mal.

Não é a história de um bom homem milagreiro que vaga pelo deserto livrando as pessoas de suas dificuldades.

Muito menos é a história de um bom senhor que dá presentes para as pessoas, dependendo se elas fizeram boas obras ou não.

 

HOJE VOS NASCEU O SALVADOR!

 

Salvador do que? Do pecado.

Daquela rachadura que existe dentro de mim e de você.

Ele veio lidar com aquilo que eu e você não podemos lidar: separação de Deus.

 

Pouco tempo depois, Jesus é circuncidado, e após o período de purificação, ele é levado ao templo para ser apresentado e Deus, como exigia a lei.

 

Lucas 2:
25 Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão; homem este justo e piedoso que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. 26 Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor. 27 Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a Lei ordenava, 28 Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: 29 Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; 30 porque os meus olhos já viram a tua salvação, 31 a qual preparaste diante de todos os povos:

32 luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel.

 

Lucas 2:

36 Havia uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser, avançada em dias, que vivera com seu marido sete anos desde que se casara 37 e que era viúva de oitenta e quatro anos. Esta não deixava o templo, mas adorava noite e dia em jejuns e orações. 38 E, chegando naquela hora, dava graças a Deus e falava a respeito do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém.

 

Existem 4 capítulos nos evangelhos descrevendo a história do natal.
Todos eles são a respeito de como Deus irá lidar com o pecado.

 

Desde a primeira página da Bíblia até a última, as Escrituras exclamam:
Jesus É, sempre foi e sempre será. 

Mas ele veio neste momento específico da história, por causa do pecado.

 

Gálatas 4:

4 vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5 para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos.

 

O Natal é o momento específico na história da humanidade em que Deus paga a um custo pessoal infinito o preço do pecado.
É o pecado que torna necessária a vinda do Filho de Deus.

 

Os céus se abrem e os anjos cantam que a humanidade agora pode ter paz com Deus.

Simeão declara que a salvação chegou para todas as nações.

Ana anuncia que agora nós podemos ser redimidos, comprados de volta.

 

Alguém finalmente está lidando com o pecado. 

Alguém finalmente irá nos livrar de nós mesmos e desse defeito que todos nós carregamos.

 

Este é o propósito do Natal, e se não prestarmos atenção nesse importantíssimo detalhe, iremos deixar a cultura ditar aquilo que o Natal simboliza. 

 

O NATAL É O PRIMEIRO PASSO PARA A PÁSCOA!

 

Sabe aquele momento em que Abraão está prestes a matar Isaque, e Deus envia um cordeiro, para substituir o filho de Abraão? Isso é o Natal.

 

O Cordeiro de Deus que será morto numa sexta de páscoa para a salvação de toda a humanidade acabou de nascer.

 

O problema é que estamos muito acostumados a comemorar o Natal, e ao mesmo tempo, a Páscoa significa muito pouco para nós.

E não dá para comemorar o Natal sem entender que ele aponta para a Páscoa.

 

Muitas vezes o Natal é para nós uma época de consumismo, não só de comércio e publicidade, mas de olharmos para nossos sonhos, nossos planos, nossos anseios, e encontrarmos em Jesus a esperança de uma satisfação pessoal.

O Natal é exatamente o oposto disso.

 

Pecado é uma palavra que significa que eu vivi minha vida do meu próprio jeito, que eu virei as costas para Deus e o rejeitei como Senhor da minha vida, e por consequência dessa escolha, minha vida tomou um rumo de morte e destruição, não apenas no futuro, mas nos meus relacionamentos e escolhas presentes.

O resultado do Natal é um relacionamento com Deus baseado na liberdade e no perdão de uma vida centrada no próprio eu.

 

Davi foi uma das pessoas mais poderosas do mundo. Extremamente rico e bem sucedido, possuía tudo que o coração de um homem poderia desejar. 

Se você o tirasse no amigo secreto de natal, entraria em desespero por não saber o que dar ao homem que tem tudo.  

 

Ainda assim, Davi recebeu de Deus um presente inestimável.

Ele compartilha esse presente conosco:

 

Salmo 32:

1 Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo. 3 Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. 4 Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. 5 Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.

O homem que tinha tudo, percebeu que algo estava faltando.

 

Você pode pegar o seu fardo e colocar fitas, bolas coloridas, estrelinhas, mas no final, é apenas um fardo insuportável que você fica arrastando por aí.

O Natal jamais fará sentido para você, se você não entender que o Natal existe por causa da condição do seu coração.

Davi percebeu isso, e Deus lhe deu o maior presente que um homem pode receber: o perdão de seus pecados.

 

O Natal sempre nos deixa com uma escolha para fazer:

  • Será que eu aceito o Natal com tudo o que ele carrega?

Maria, José, os pastores, os reis sábios, Simeão e Ana escolheram aceitar.

Herodes e os líderes religiosos judeus, escolheram rejeitar.

  • Se eu aceito o Natal, como isso muda os outros 364 dias do ano? 

 

Eu continuarei vivendo uma tentativa inútil de me comportar bem, fazer boas obras, chamar a atenção divina pelo meu esforço de viver um cristianismo aceitável para no fim das contas conseguir trocar por algum favor divino que me interesse?

 

Ou eu viverei com o alívio do perdão e da liberdade que vem mediante a certeza de que o problema do pecado, o problema do meu coração só pode ser resolvido se eu aceitar o presente que nasceu no primeiro Natal?

 

Para você que escolheu aceitar de fato o Natal, eis a mensagem natalina de Paulo para você:

Romanos 8:

1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. 2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. 3 Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, 4 a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Rate it

Post comments

This post currently has no comments.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *